O FUTURO É SUSTENTÁVEL E DE ORIGEM ANIMAL

Olá pessoal, tudo bem? 

O FUTURO É SUSTENTÁVEL E DE ORIGEM ANIMAL – Por Giovana Oliveira, Equilibrium Latam

O FUTURO É SUSTENTÁVE

L E DE ORIGEM ANIMAL: perspectivas do m

ercado de carnes cultivadas

A Organização das Nações Unidas para a Ali

mentação e Agricultura (FAO) estima que a demanda por carne vai aumentar em mais de dois terços nos próximo

s 40 anos e sabemos que o meio de produção não é nada positivo para o meio ambiente.
Assim, na tentativa

de reduzir os impactos negativos da produção de carne ao redor do mundo, a indústria alimentícia apostou em novas formulações e alta

 

tecnologia para desenvolver produtos alternativos e, neste meio, encontrou uma solução inovadora, sustentável e de origem animal: o cultivo de carnes feitas em laboratório.

A produção de carnes cultivadas

As carnes cultivadas são produzidas por bioengenharia, a partir do cultivo de células-tronco animais, coletadas sem a necessidade da criação e do abate. E aproveitando os processos naturais de multiplicação, diferenciação e maturação celular, é possível aumentar o número de células cultivadas e sua densidade, formando um tecido que replica o perfil nutritivo e o perfil sensorial de carnes bovinas, aves, peixes e frutos do mar.

Nesse sentido, a produção de carnes em laboratório se torna uma alternativa sustentável para o meio ambiente, já que não depende do uso abusivo de recursos naturais, disponibilidade de pastagem, produção de ração animal e desgaste do solo. Para ilustrar este cenário, a CE Delft, uma organização de consultoria e pesquisa especializada em desenvolver soluções inovadoras para problemas do meio ambiente, fez uma avaliação do ciclo de vida das diferentes formas de produção de carnes. O estudo releva que a carne cultivada é mais sustentável (cerca de 75%) em relação à produção de CO₂ e uso da terra e da água do que a carne bovina e tem um perfil de sustentabilidade semelhante ao de aves e suínos.

Além disso, a nova forma de produção de carne garante produtos livres de contaminantes, metais pesados, pesticidas e parasitas que podem oferecer risco à saúde humana através do consumo indireto.

Qual a perspectiva desse mercado no Brasil e no mundo?

O primeiro hambúrguer de carne cultivada foi desenvolvido em 2013, por uma equipe de universitários na Universidade de Maastricht, nos Países Baixos e custou cerca de 200 mil euros para ser produzido na época. Hoje, o grande desafio na produção das carnes de laboratório é imitar o ambiente muscular animal em que ocorre o crescimento das células de forma que a produção seja possível em escalas industriais, permitindo também que o produto se torne mais acessível.

É o que startups ao redor do mundo vêm trabalhando com a ajuda de grandes investimentos financeiros, como exemplo temos a holandesa Mosa Meat e a israelense Aleph Farms.

                                                                                                          Fonte: Aleph Farms

                                                                                                           Fonte: Mosa Meat

Segundo relatório da McKinsey, estimasse que em 2030 a carne cultivada poderá responder por até 2,1 milhões de toneladas de produção de carne em um ano e se tornará uma indústria de 25 bilhões de dólares. Vemos então que o mercado é promissor e vem ganhando grande destaque da indústria alimentícia no mundo.

E sim, a carne cultivada já é realidade no Brasil! Como um dos maiores exportadores de carne do mundo, nosso país conta com empresas de renome internacional para o desenvolvimento do mercado de produtos cultivados.

Assim, em 2021, a JBS, que está comprometida em ajudar a enfrentar o desafio global de alimentar uma população em crescimento de forma responsável, tornou-se a principal acionista da BioTech Foods, uma desenvolvedora de carne cultivada, e anunciou a construção do primeiro centro de Pesquisa & Desenvolvimento voltado para o estudo desta proteína alternativa no país. De forma semelhante, a BRF, outra gigante brasileira na produção de alimentos, assumiu parceira com Aleph Farms para trazer ao mercado brasileiro a carne cultivada da startup israelense em uma iniciativa que deve arrecadar cerca de R$ 100 bilhões até 2030. E, mais recentemente, nas primeiras semanas de 2022, a primeira startup brasileira voltada ao desenvolvimento de carne cultivada de peixe, a Sustineri piscis, foi apresentada e já mostra sucesso na bioprodução das espécies robalo, linguado, cherne e garoupa.

Por fim, podemos concluir que o mercado de carnes cultivadas contribui com a causa ambiental que vem ganhando força nos últimos anos e já é importante na
solução dos problemas da cadeia de abastecimento de alimentos no mundo. Você já tinha conhecimento deste mercado tão inovador? Sabia que já era uma realidade tão tangível assim?

Acompanhe os próximos conteúdos Planta Inovações e descubra as novidades do setor de alimentos e suplementos!

Créditos Equipe Equilibrium Latam

Gostou?

O Futuro é agora. Crie, compartilhe, conecte-se. Somos a Planta.vc. 

Siga-nos: Facebook: https://www.facebook.com/plantavc

Instagram: https://www.instagram.com/planta.vc

Linkedin: https://www.linkedin.com/company/planta-inovações-colaborativas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

12 − 12 =